O que é diligência judicial?

Um setor do Direito que pode não ter tanto “glamour”, mas que a cada ano tem movimentado milhares de advogados é o de diligência judicial. Com o mercado da advocacia cada vez mais concorrido, muitos jovens profissionais e estagiários têm se dedicado a atuar nessa área — acumulando experiência e se destacando dos concorrentes. Atuando como advogados correspondentes, esses profissionais conseguem uma renda extra e ainda podem desempenhar diligências variadas, que ajudam a incrementar o currículo e a batalhar por aquela vaga de emprego tão sonhada.

Você está no 5º período de Direito ou acabou de se formar e ainda não conseguiu a aprovação na OAB? Continue a leitura desse texto e saiba tudo sobre o que é diligência para começar a se destacar profissionalmente!

Seja um correspondente jurídico Adlogados

O que é diligência judicial?

Diligência judicial é um termo do Direito usado para designar todos os serviços judiciais que são realizados no interior ou no exterior de cartórios e tribunais. Um exemplo de diligência é quando o juiz solicita a realização de algum ato de ofício por um funcionário da justiça (como vistoria, citações ou penhora). Geralmente, essa solicitação é feita com a intenção de formular sua convicção sobre algum fato que não ficou muito bem comprovado ou, ainda, para sanar possíveis dúvidas referentes a pontos importantes do processo.

Na verdade, o advogado não pratica o ato da diligência em si, quem o faz é o funcionário público. O advogado realiza a correspondência jurídica e, dentre os serviços prestados, ele também encaminha as diligências para os funcionários públicos.

O que faz um advogado correspondente?

Além de encaminhar diligências, existem outras funções de um advogado correspondente que são imprescindíveis para o bom funcionamento de inúmeros escritórios de advocacia em todo o país. Um advogado de apoio (ou correspondente jurídico) é o profissional que presta serviços específicos para os escritórios de advocacia ou empresas distantes do local onde a demanda judicial ou administrativa está em trâmite.

A partir de um ato de contratação do patrono original da causa, o correspondente se torna apto a proceder atividades juridicamente peculiares em prol dos interesses dos clientes de um determinado escritório. Para algumas atividades específicas, é preciso que o advogado correspondente seja formado e também tenha sido aprovado no exame da OAB.

Mas para outras, estagiários a partir do 5º período e jovens bacharéis sem aprovação da ordem também podem atuar. Assim, as atribuições e diligências de um advogado correspondente são variadas e dependem, basicamente, das exigências do escritório contratante e da causa em que está trabalhando.

Algumas das atividades exercidas por um correspondente jurídico

  • Distribuição de ação ou de carta precatória;

  • Recolhimento de custas;

  • Obtenção de cópias;

  • Retirada e envio de alvarás;

  • Despacho com Juiz, Chefe de Secretaria, Polícia, Fazenda ou Membro do Ministério Público;

  • Solicitação de certidão ou de outros documentos judicial ou extrajudicial;

  • Audiências de conciliação, instrução e julgamento.

Quais diligências os bacharéis em Direito podem realizar?

Como dissemos, mesmo sem ser aprovado pela OAB, existem muitas tarefas que um estagiário ou um jovem recém-formado pode realizar — e que ajudarão a ganhar experiência e a se diferenciar no mercado de trabalho. Graças à aprovação do projeto de lei 1189/2007, desde 2013 é permitido que estudantes de Direito estagiem (a partir do 5º período).

Assim, se você já se encontra nessa etapa da faculdade, também pode atuar como correspondente jurídico. As principais atividades que esses profissionais podem realizar são:

  • Emitir guias;

  • Retirar alvarás;

  • Verificar andamentos processuais;

  • Realizar protocolos, consultas e cópias;

  • Elaborar peças com a supervisão de um advogado com OAB.

Quais as vantagens de ser um advogado correspondente?

Tanto para quem já atua como advogado, como para quem ainda está começando na carreira, trabalhar como correspondente jurídico possui muitas vantagens. Veja algumas:

  • Ampliação do networking: trabalhando como correspondente, você terá contato com advogados e escritórios em todas as regiões do país, ampliando o alcance do seu trabalho e conseguindo mais possibilidades de emprego;

  • Conhecimento sobre vários setores do Direito: como advogado de apoio, você realizará diligências variadas, como acompanhamento de julgamentos, despachos e cópias. Assim, é possível aumentar a sua experiência, ganhar mais confiança e melhorar a sua postura profissional;

  • Renda extra: além de todas as vantagens para o seu crescimento profissional, você também contará com uma renda a mais no final do mês. Isso é muito importante para quem está no início da carreira ou para quem tem se dedicado aos estudos para algum concurso, por exemplo;

  • Experiência profissional: é claro que, ao trabalhar como correspondente, você poderá incluir essa experiência no seu currículo, tornando-se um profissional mais atraente para os escritórios e aumentando as suas chances de conseguir um primeiro emprego de maior prestígio.

Como me tornar um correspondente jurídico?

Para se tornar um advogado correspondente e destacar-se no meio, é fundamental que você tenha algumas características (ser responsável, proativo, eficiente e vigilante). Além disso, existem outras dicas que podem fazer você se destacar, como:

  • Ter uma boa presença no mundo digital, com um perfil no Linkedin atualizado, presença nas redes sociais e até mesmo um site falando sobre a sua experiência;

  • Ser comprometido com as causas, aumentando a sua credibilidade com o contratante;

  • Ser organizado e capaz de cumprir todas as exigências que lhe forem atribuídas;

  • Ser responsável e transmitir confiança para quem lhe contratou. Lembre-se que a distância pode influenciar nesse sentido, já que você não se apresentará pessoalmente ao escritório contratante. Por isso, busque agir o mais profissional possível e mantenha uma boa comunicação.

Existem muitas maneiras para se tornar um correspondente jurídico, como se associando a escritórios de outros estados ou fazendo parte de grupos de correspondentes nas redes sociais. Porém, o meio mais seguro é se cadastrar em plataformas sérias e reconhecidas no setor. Assim, você será facilmente encontrado por quem precisa de profissionais com o seu perfil e ainda terá a certeza de estar seguro em um ambiente pensado justamente nesse tipo de negociação.

Agora que você já sabe o que é diligência judicial e quais são as vantagens de se tornar um correspondente jurídico, que tal conhecer a Adlogados? Comece hoje mesmo a atuar como um advogado de apoio!

Profissionais conseguem uma renda extra e ainda podem desempenhar diligências variadas, que ajudam a incrementar o currículo e a batalhar por aquela vaga de emprego tão sonhada.

Se você está no 5º período de Direito ou acabou de se formar e ainda não conseguiu a aprovação na OAB, continue a leitura desse texto e saiba tudo sobre o que é diligência, quais são as específicas dos advogados correspondentes e como você pode começar a se destacar profissionalmente.

O que é diligência judicial?

Diligência judicial é um termo do Direito usado para designar todos os serviços judiciais que são realizados no interior ou no exterior de cartórios e tribunais.

Um exemplo de diligência é quando o juiz solicita a realização de algum ato de ofício por um funcionário da justiça (como vistoria, citações ou penhora) com a intenção de formular sua convicção sobre algum fato que não ficou muito bem comprovado ou, ainda, para sanar possíveis dúvidas referentes a pontos importantes do processo.

Na prática, o advogado não pratica o ato da diligência em si, quem o faz é o funcionário público. O advogado realiza a correspondência jurídica e, dentre os serviços prestados, ele também encaminha as diligências para os funcionários públicos.

O que faz um advogado correspondente e quais são suas atribuições?

Além de encaminhar diligências, existem muitas outras funções de um advogado correspondente que são imprescindíveis para o bom funcionamento de inúmeros escritórios de advocacia em todo o país.

Um advogado de apoio (ou correspondente jurídico) é o profissional que presta serviços específicos para os escritórios de advocacia ou empresas distantes do local onde a demanda judicial ou administrativa está em trâmite.

A partir de um ato de contratação do patrono original da causa, o correspondente se torna apto para proceder atividades juridicamente peculiares em prol dos interesses dos clientes de determinado escritório.

Para algumas atividades específicas, é preciso que o advogado correspondente seja formado e também tenha sido aprovado no exame da OAB, mas para outras, estagiários a partir do 5º período e jovens bacharéis sem aprovação da ordem também podem atuar.

Assim, as atribuições e diligências de um advogado correspondente são muito variadas e dependem basicamente das exigências do escritório contratante e da causa em que se está trabalhando.

Algumas das atividades exercidas por um correspondente jurídico são:

  • Distribuição de ação ou de carta precatória;
  • Recolhimento de custas;
  • Obtenção de cópias;
  • Retirada e envio de alvarás;
  • Despacho com Juiz, Chefe de Secretaria, Polícia, Fazenda ou Membro do Ministério Público;
  • Solicitação de certidão ou de outros documentos judicial ou extrajudicial;
  • Audiências de conciliação, instrução e julgamento;
  • Outras diligências.

Quais diligências os estudantes e bacharéis em Direito podem realizar?

Como dissemos, mesmo sem ainda ser aprovado pela OAB, existem muitas tarefas que um estudante estagiário ou um jovem recém-formado pode realizar – e que irão ajudar você a ganhar experiência e a se diferenciar no mercado de trabalho.

Graças a aprovação do projeto de lei 1189/2007, desde 2013 é permitido que estudantes de Direito comecem a estagiar a partir do 5º período. Assim, se você já se encontra nessa etapa da sua faculdade, também pode começar a atuar como correspondente jurídico.

As principais atividades que esses profissionais podem realizar são:

  • Emitir guias;
  • Retirar alvarás;
  • Verificar andamentos processuais;
  • Realizar protocolos , consultas e cópias;
  • Elaborar peças com a supervisão de um advogado com OAB.

Quais as vantagens de me tornar um advogado correspondente?

Tanto para quem já atua como advogado, como para quem ainda está começando na carreira, trabalhar como correspondente jurídico possui muitas vantagens. Veja algumas:

  • Ampliação do networking: trabalhando como correspondente, você terá contato com advogados e escritórios em todas as regiões do país, ampliando o alcance do seu trabalho e conseguindo mais possibilidades de emprego.
  • Conhecimento sobre vários setores do Direito: como advogado de apoio, você irá realizar diligências variadas, como acompanhamento de julgamentos, despachos, cópias e outros, aumentando a sua experiência e ajudando você a ganhar ainda mais confiança e a melhorar a sua postura profissional.
  • Renda extra: além de todas as vantagens para o seu crescimento profissional, você também contará com uma renda a mais no final do mês. Isso é muito importante para quem está em inicio de carreira ou para quem tem se dedicado aos estudos para algum concurso, por exemplo.
  • Experiência profissional: é claro que, ao trabalhar como correspondente, você poderá incluir essa experiência no seu currículo, se tornando um profissional muito mais atraente para os escritórios e aumentando as suas chances de conseguir um bom primeiro emprego.

Como me tornar um correspondente jurídico?

Para se tornar um advogado correspondente e conseguir se destacar no meio é fundamental que você tenha algumas características, como: ser responsável, proativo, eficiente e vigilante.

Além disso, existem outras dicas que podem fazer você se destacar, como:

  • Ter uma boa presença no mundo digital, com um perfil no Linkedin atualizado, presença nas redes sociais e até mesmo um site falando sobre a sua experiência;
  • Ser comprometido com as causas, aumentando a sua credibilidade com o contratante;
  • Ser organizado e capaz de cumprir todas as exigências que lhe forem atribuídas;
  • Ser responsável e conseguir transmitir confiança para quem lhe contratou. Lembre-se que a distância pode influenciar nesse sentido, já que você não poderá se apresentar pessoalmente ao escritório contratante, por isso, busque agir o mais profissional possível e manter uma boa comunicação.

Para se tornar um correspondente jurídico existem muitas maneiras, como associando-se a escritórios de outros estados ou fazendo parte de grupos de correspondentes nas redes sociais.

Porém, o meio mais seguro é sempre buscar se cadastrar em plataformas sérias e reconhecidas no setor, assim você terá mais facilidade de ser encontrado por quem precisa de profissionais com o seu perfil e ainda terá a certeza de estar seguro em um ambiente pensando justamente para esse tipo de negociação.

Agora que você já sabe o que é diligência judicial e quais são as vantagens de se tornar um correspondente jurídico, que tal conhecer a Adlogados e começar hoje mesmo a atuar como advogado de apoio?

Este artigo foi escrito por Adlogados