Advocacia e concurso público: dá para conciliar? Entenda!

O direito permeia nossas vidas e está presente em inúmeras situações, por mais corriqueiras que pareçam. Essa característica abre ao advogado inúmeras possibilidades, mas uma chama especial atenção: advocacia e concurso público.

Se, por um lado, a estabilidade da carreira pública fala alto, por outro, a possibilidade de projeção e altos ganhos da carreira advocatícia se apresenta como um horizonte infinito e tentador.

Seja um correspondente jurídico Adlogados

Mas, como os concursos públicos atraem a cada dia mais candidatos por vaga e o mercado jurídico vem exigindo mais empenho de seus profissionais, seria possível conciliar duas carreiras tão competitivas e com níveis de exigência cada vez mais altos?

Respostas a esses questionamentos dependerão dos objetivos específicos de cada profissional, mas você verá que, bem equacionadas, as carreiras podem até mesmo se completar. Confira!

Possibilidade de especialização

Uma vez aprovado em concurso público e com a subsistência assegurada, o profissional poderá se programar para estudar e especializar em áreas promissoras do direito ou mesmo em um melhor atendimento ao cliente. Esse poderia ser considerado o caminho mais viável, a não ser pela dificuldade de ser aprovado, em virtude da alta concorrência.

Com renda estável, o profissional terá tempo para se dedicar não apenas à especialização, mas a diferentes maneiras de conquistar clientes e seguir pavimentando o caminho para a carreira advocatícia.

Estabilidade e seletividade

A tão sonhada estabilidade da carreira pública permitirá maior seletividade nos clientes a serem trabalhados. A possibilidade de escolher determinados casos, empresas a serem atendidas ou mesmo segmentos específicos a serem explorados elevará o profissional a um patamar diferente da grande maioria dos advogados iniciantes.

Esse cenário, entretanto, se mostra pouco provável frente a realidade do mercado. Existirão ainda vantagens em um cenário menos favorável?

Flexibilidade

Nesse cenário menos favorável, onde o profissional precisa conquistar clientes e ainda se organizar para a alta carga de estudos do concurso, a flexibilidade de horários da carreira advocatícia pode ser uma vantagem.

Claro que não se encontra essa flexibilidade como advogado associado ou contratado de grandes escritórios, e, se seus recursos não o motivam a montar seu próprio escritório, uma solução bastante viável é se oferecer como advogado correspondente para escritórios sediados em localidades diferentes da sua.

Se o advogado tiver a possibilidade de exercer a atividade em home office, existem maneiras de conquistar clientes utilizando-se da internet, auferir ganhos e separar horas para o estudo. Com disciplina e dedicação, os objetivos serão alcançados no devido tempo.

Desafios

Para conciliar advocacia e concurso público, alguns desafios devem ser superados. Se grande parte de seu tempo for destinada a conquistar clientes e atendê-los, não sobrará muito tempo para os estudos, o que o deixará em desigualdade em relação aos demais concorrentes.

Essa desigualdade poderá significar renúncia aos finais de semana, noites e baladas com amigos. Mas, como os objetivos são passar em concurso e ter renda com atividade jurídica, não lhe restarão opções mais viáveis.

Outro desafio importante é a construção do networking, essencial para a conquista de clientes por indicações. Mas, sem tempo para manter os relacionamentos, essa ferramenta ficará prejudicada.

Grandes objetivos exigem grandes esforços e soluções. Em alguns casos, os investimentos precisam ser repensados, assim como as estratégias e o planejamento. Mas a pergunta permanece: prestar concurso público ou montar o próprio negócio jurídico?

Os desafios podem ser amenizados caso a escolha do concurso contemple funções não ligadas ao direito, ou que, em tese, lhe daria uma certa vantagem nessa matéria em específico.

Em síntese, se a conciliação da advocacia e concurso público é possível ou não, dependerá de seu planejamento, estratégia e disposição para manter o foco e assumir as renúncias que virão. Esse questionamento é você quem deve responder!

Para te ajudar a decidir, confira, ainda, nosso artigo “Advogar ou prestar concurso público? Veja as vantagens e desvantagens de cada um”.

Este artigo foi escrito por Adlogados